33 autarquias tentam apoio para wifi nas zonas históricas

Sintra, Braga e Cascais estão entre as autarquias que querem alargar internet gratuita aos turistas.

Em agosto do ano passado, Cascais anunciava o início de um período experimental que levava internet sem fios, de forma gratuita, a cinco pontos do concelho. A rede Cascais wifi foi aberta em quatro praias do concelho e no centro histórico da cidade. Agora, Carlos Carreiras quer aproveitar a Linha lançada em setembro pelo Turismo de Portugal para alargar o serviço. “Cascais pretende candidatar-se à extensão da cobertura para wifi que já temos nos centros históricos, praias e parques verdes urbanos”, disse o autarca ao Dinheiro Vivo.

Basílio Horta, em Sintra, também quer aproveitar a linha de apoio à disponibilização de Internet que está aberta a candidaturas até 31 de dezembro de 2017, depois de ter já avançado com wifi gratuita através do programa ‘wifi no centro histórico’ que permite aos visitantes aceder a informação sobre a região através de qualquer dispositivo móvel a partir do centro histórico, Volta do Duche, e Estefânia. Desde essa altura que o objetivo sempre foi alargar a wireless a parques urbanos e zonas de maior afluência. Em Braga, Ricardo Rio também confirma a intenção de alargar a internet que já disponibilizam. “Nós já temos. Mas queremos alargar pelo que nos vamos candidatar”, afirmou o autarca ao Dinheiro Vivo. Não são os únicos a querer melhorar as acessibilidades. Dados cedidos pelo ministério da Economia mostram que em três meses, a linha de apoio lançada pelo Turismo de Portugal já recebeu 33 candidaturas, que agora terão de ser analisadas pelo organismo liderado por Luís Araújo. Não adiantam, por isso, os nomes dos municípios a concurso, uma vez que alguns projetos podem vir a ficar pelo caminho. A linha Portugal wifi foi lançada a 23 de setembro pela secretária de Estado do Turismo. Numa altura em que Portugal bate recordes no número de visitantes, a simplicidade e rapidez no acesso a conteúdos já pesa no momento da escolha do local a visitar. O projeto Portugal wifi está especialmente focado nos centros históricos das cidades e nas zonas de maior afluxo de turistas e insere-se num propósito ainda maior: o das smartcities, que pretende aumentar a qualidade de vida e o desenvolvimento económico das localidades. Não é só para os estrangeiros: o governo entende que a colocação de internet gratuita nas cidades vai facilitar que as pequenas empresas tenham acesso a outros mercados (e aumentar as vendas) através do suporte online. A linha tem uma dotação de 1 milhão de euros, em 2017, e está disponível tanto para câmaras municipais como entidades regionais de turismo.

Fonte: Dinheiro Vivo